: Ремонт ноутбуков hp pavilion. Ремонт ноутбуков hp своими руками. Ремонт клавиатуры ноутбука hp. Сервисный центр samsung ремонт планшетов. Быстрый ремонт планшетов samsung. Ремонт планшетов samsung galaxy tab. Штукатурка стен своими руками. Качественная венецианская штукатурка своими руками. Наружная штукатурка своими руками.
Смартфон samsung galaxy отзывы. Хороший обзор смартфонов samsung galaxy. Смартфон samsung galaxy ace 2. Горнолыжные курорты италии отзывы. Лучшие горнолыжные курорты италии. Горнолыжные курорты италии фото. Лазерная коррекция зрения. Качественная коррекция зрения стоимость. Операция по коррекции зрения. Язык программирования python. Учим python быстро. Весь язык python с нуля. Лечение сетчатки глаза. Нервный тик глаза лечение. Болезни глаз лечение.



A Europa também é o Islão

Tariq Ramadan

"A Alhambra demonstra que a Europa também é o Islão".

Foi intenção de Tariq Ramadan, intelectual Muçulmano de nacionalidade Suiça e origem Egípcia, manifestar-se a respeito de recentes declarações de Bento XVI, o qual considera que o Cristianismo é a religião sobre a qual se fundou o conceito de Europa. "Nada está mais longe" - diz o pensador - "porque a presença d'Alhambra demonstra que a Europa também é o Islão".

Ramadan faz menção ao que Al-Andalus significou para a criação da ideia Europeia e lembrou ao Papa que "não se pode usar o passado para o sectarismo". "O Papa receia que se reconstrua um passado de pluralidade, que se recorde que o Islão pertence à História da Europa, que se fale do pluralismo do passado", esclareceu Tariq. O intelectual, nesse território entre fé e cultura, considera que "existe uma religião do silêncio, que é aquela que se encontra a meio caminho entre Oriente e Ocidente. A religião é um meio - acrescenta ele - que pode ser utilizado para a paz e também de uma forma dogmática por alguns Estados, como é o caso dos Estados Unidos da América, que usam a religião para o mal". O Islão não é culpado pelo integrismo, senão pelas suas "más interpretações. A democracia é boa, mas também é empregue quando é mal utilizada para invadir um país", realçou.

IMIGRAÇÃO

Relativamente ao problema da imigração, o intelectual considera que a chegada massiva de Muçulmanos aos países Europeus deu origem a "uma grande crise de identidade". Usando a Grã-Bretanha como exemplo, verifica-se o seguinte: "Um país onde existem cidadãos provenientes de diferentes partes do Mundo, de diferentes religiões, e que agora se questionam sobre o que é ser Britânico e onde está o Britânico". Caminha-se para a mestiçagem e, o problema, é que se tem medo, "mas não há que culpar o Islão, porque os Muçulmanos são cumpridores da Lei; há que culpar, sim, a actual situação sócio-económica".

"Numa cidade como Bruxelas - comentou - 30% da população é Muçulmana e, dentro de alguns anos, a cifra atingirá os 50%, e esse é um fenómeno imparável, a globalização".

Tariq Ramadan defende que o problema não é que esta imigração seja de origem Muçulmana, a religião das pessoas que emigram, mas sim a integração na sociedade que a acolhe. Contudo, estima compreender a "percepção psicológica para com os Muçulmanos com todos os ataques terroristas do fundamentalismo".

Ramadan recebe críticas tanto de Muçulmanos, como de Ocidentais, "os Islamistas Europeus atacam-me por criticar as suas interpretações do Alcorão e, enquanto Ocidental, sou criticado pelos políticos e poderes que defendem a invasão do Iraque".





Created & Design by MaiLayout