: Ремонт ноутбуков hp pavilion. Ремонт ноутбуков hp своими руками. Ремонт клавиатуры ноутбука hp. Сервисный центр samsung ремонт планшетов. Быстрый ремонт планшетов samsung. Ремонт планшетов samsung galaxy tab. Штукатурка стен своими руками. Качественная венецианская штукатурка своими руками. Наружная штукатурка своими руками.
Смартфон samsung galaxy отзывы. Хороший обзор смартфонов samsung galaxy. Смартфон samsung galaxy ace 2. Горнолыжные курорты италии отзывы. Лучшие горнолыжные курорты италии. Горнолыжные курорты италии фото. Лазерная коррекция зрения. Качественная коррекция зрения стоимость. Операция по коррекции зрения. Язык программирования python. Учим python быстро. Весь язык python с нуля. Лечение сетчатки глаза. Нервный тик глаза лечение. Болезни глаз лечение.



Globalidade do Islão

Por: Mohamed Yussef Pereira (da cidade invicta do Porto)

Como sabem os mais interessados, após os famosos "Two Treatrises Of Governement" de John Lock e posteriormente o "De L'Esprit Des Lois" de Montesquieu desenvolveu-se a doutrina (dos poderes separados), que aliada às ideias liberais da época, se opuseram ao absolutismo monárquico, que teve na figura de Luís XIV o seu auge. Era famosa sua máxima "L'Etat cést moi" que correspondia à dos reis Stuarts, "Rex est lex".

Esta doutrina, segundo Montesquieu, tinha por objectivo o controlo do poder, subdividindo-o. As suas influências abarcaram a constituição americana em 1787, e posteriormente, a revolução francesa em 1789, e a sua primeira constituição em 1791, fazendo escola até aos nossos dias, e estando, por detrás das actuais democracias ocidentais e do pensamento dos seus teóricos, que afirmam, que a simbiose entre a religião e a política é nefasta.

No Islão não existe separação nem qualquer conflito contra a atitude religiosa, política ou social. O Islão estipula para o crente um modo de vida baseado no bem (Ma'rufat), expurgado de todos os males (Munkarat), e propõem uma ordem social, que tem como seu fim, a efectivação do Reino de ALLAH (DEUS) sobre a terra.

La Iláha il'ALLAH - Não há outra divindade senão Deus. ALLAH (S.T.) é o Criador, o Rei e Único Senhor do Universo, e a soberania é um direito, que só a Ele Lhe pertence (Tawhid), o homem é somente seu delegado e seu servidor terreno.

Foi também o próprio Profeta Muhammad (s.a.w.) que planeou e criou o primeiro Estado Islâmico em Medina, fazendo jus à necessidade intrínseca da Lei Islâmica (Charia), que exige a criação de um estado Islâmico. Muhammad (s.a.w.) foi Khatam-un-nabiyyin (o último da cadeia dos verdadeiros Profetas), e foi também, chefe de estado, general, juiz, pedagogo no sentido mais modesto da palavra, pois com a revelação do Alcorão e o exemplo da sua vida (Riçalat), ensinou-nos como nos devemos conduzir neste mundo.

É na integridade da execução das leis de Allah (S.T.), e na imitação da vida exemplar do Profeta Muhammad (s.a.w.) que nós, homens representantes elegidos por Allah (S.T.) sobre a terra, somos chamados a exercer a autoridade (Khilafat). Não se é Muçulmano só quando se visita a Mesquita (ár. Maçjid) para a Oração (ár. Salat), mas sim quer se esteja só, com a família, em sociedade, no trabalho, no descanso, nos negócios, na governação, na alegria e na dor. Um muçulmano deve-o ser de corpo inteiro, em qualquer parte, em qualquer situação. Não se pode ser Muçulmano só às vezes e nem por partes. Um Muçulmano não molda a palavra de ALLAH (S.T.) à sua vontade, mas sim, a sua vontade à palavra de ALLAH (S.T.) que é Universal, Intemporal e Intocável.

A grande verdade, incomensurável e indivisível, que assusta a grande maioria dos políticos ocidentais ou ocidentalizados, que lavram no erro da prepotência de se julgarem culturalmente mais avançados, embora, seja notório o seu profundo desconhecimento do Islão; julgam assim, pela rama e destorcidamente, algo que lhes é estranho, baseados nos seus próprios padrões culturais, materialistas, humanos e falíveis, o ISLÃO, Mensagem de Deus (Allah S.T.).

A ousadia da ignorância é uma estrada de equívocos, as suas críticas e os seus medos infundados, resultam de muitos dos seus interesses serem menos claros e da duplicidade do seu carácter, que foi moldado sobre a especulação e a baixa política, inerente à própria sociedade da qual fazem parte e da qual são muitas vezes os seus próprios construtores e pontos de referência. (...)

As grandes potências ocidentais sustêm todo o poder nos seus monopólios neoesclavagistas e na força bélica das suas armas de destruição macíça; o poder invencível dos Muçulmanos resulta do amor que constroem em seus corações na doce submissão votada às Leis de ALLAH (S.T.). O caos não pode vencer a ORDEM; o mal não pode exterminar o BEM.

Na política Islâmica os meios não são independentes dos fins. Só as boas acções produzem boas obras. Allah (S.T.) disse no Alcorão: "Não criei os génios e os humanos senão para me adorarem." (51:56)





Created & Design by MaiLayout